Aproveitar o malte que sobra da cerveja: Receita de Malzbrötchen – Pão de malte

Boa Noite cervejeiros de plantão!

Há quanto tempo que não postava nada! Devido a correria de trabalho e meu casamento/lua de mel, não tive muito mais tempo de fazer cerveja  e muito menos de postar novidades. Porém, com o sucesso da minha campanha do rótulo da minha cerveja Porkin Cuié (assunto para outro post!), fiquei devendo muitas garrafas para muitas pessoas. Pois bem, resolvi então reservar um sábado para tal e preparei o mel dos Deuses.

Sempre que faço uma brassagem, guardo parte do malte para fazer pão de malte (Malzbrötchen em alemão) e kibe assado. Neste post, resolvi compartilhar com vocês a receita que tenho usado para isso, de maneira que possa aproveitar muito bem o bagaço do malte que sobrou sem peso na consciência de jogar fora um ingrediente tão caro e aproveitando para fazer um dos pães mais gostosos que existe!

Vou passar a receita para “uma porção”, porém nas fotos que se seguem fiz 2 receitas de uma única vez, sendo assim todos os ingredientes NAS FOTOS estão dobrados. Vamos aos ingredientes (uma porção):

  1. 500 g de farinha branca
  2. 300g de farinha integral
  3. 300g de malte que sobrou da brassagem
  4. 350ml de leite integral
  5. 1 colher de sobremesa de manteiga
  6. 4 colheres de sopa de mel
  7. 1 colher de café de sal
  8. 1 sache de fermento biológico seco
  9. 1 ovo

20160814_110645

20160814_111206Veja que na foto o malte está “estranho”. Isto é porque não fiz o pão no mesmo dia que a cerveja. Na verdade o malte estava congelado. Dizem por aí que dura até 1
ano sendo conservado no freezer. Nunca paguei pra ver, sempre faço o pão alguns dias depois da cerveja 😀

Aqueça o leite até ficar morno. Depois bata-o no liquidificador junto com o malte. Caso seu malte esteja congelado igual ao meu, recomendo que aqueça o leite até a fervura para compensar a temperatura baixa do malte. O ideal é que a mistura esteja numa temperatura morna agradável ao toque. Bata bem até que a mistura fique homogênea. Lembre-se, o malte possui cascas, por isto é importante este passo. Caso não queira bater muito ou  nada, você não terá problemas com o gosto do pão, apenas a textura ficará diferente. Há quem goste. Recomendo fazer pelo menos uma vez assim a receita e comparar.

Em seguida, jogue a mistura em uma vasilha (tipo bow) grande suficiente para que você possa colocar os ingredientes e mistura-los com a mão sem fazer bagunça. Junte à mistura metade da farinha (250g de farinha branca e 150g de farinha integral), o sal, a manteiga e o fermento biológico. Misture bem com a mão até que a massa fique homogênea.

Perceba que apesar de homogênea, a massa está pegajosa. Adicione todo o mel e mais uns 200g de farinha branca e 100g de farinha integral. Misture bem. Caso ainda continue pegajosa, vá adicionando um pouco de farinha (dos 100g total que sobraram) até que ela perca esta característica.

 

Uma vez homogênea e não pegajosa, comece a sovar a massa. Prepare uma superfície lisa, no meu caso a pedra da pia, salpicando farinha branca nela. A sova do pão consiste basicamente em descontar toda sua raiva nela dando muita porrada. Faça isso por 10 minutos e entenderá porque os antigos diziam que quando alguém apanhava na rua, levava uma “sova” hahaha. Observação: Caso ela ainda esteja grudenta, vá adicionando um pouco de farinha e continue a sova. Repita o processo de adicionar farinha e sovar até que ela passe a ficar mais lisa e não grudenta.

20160814_115527O resultado deve ser algo parecido com a imagem ao lado. Neste ponto a massa estará fofa, homogênea e elástica. É importante que ela não fique grudenta. Não se deixe enganar pelas aparências! Parece que esta massa resultará em pouco pão, porém esta massa ainda vai crescer muito.

Após a sova, deixe a massa descansar por 20 minutos. Eu utilizei o próprio bow que usei para misturar os ingredientes para armazenar a massa durante o descanso. Cubra o recipiente com um pano. Abaixo coloco lado a lado a imagem antes (esquerda) e depois (direita) do descanso de 20 minutos.

Veja como ela cresce bastante neste intervalo. Retire a massa do recipiente e volte para a superfície de sova. Sove a massa por mais 10 minutos. Perceba que a consistência pode mudar um pouco e a massa pode voltar a ficar grudenta. Se este for o seu caso, adicione com muita calma um pouco de farinha ao longo da sova para que ela deixe de ficar grudenta.

Após a segunda sova, modele o pão do jeito que achar mais conveniente e deixe descansar por mais 20 minutos. No meu caso resolvi fazer pães individuais para comer no café-da-manhã e um maior para levar para empresa pro pessoal experimentar. Veja abaixo:20160814_124636

Nesta hora, para dar um toque mais profissional, recomendo utilizar uma faca para fazer incisões na massa a fim de que estas se tornem as “cicatrizes” do pão pronto. Veja abaixo:

Enquanto a massa descansa, aproveite para untar a forma e para pre-aquecer o forno. Para untar a forma, basta lambuza-la com manteiga (ou margarina ou óleo) e em seguida jogar farinha branca na forma e mexer bastante para que a farinha grude na manteiga. Veja este vídeo sobre untar formas. Faça o pre-aquecimento do forno durante 5 minutos em 200ºC. Abaixo a minha forma untada:

20160814_130014

Coloque as massas na forma untada. Antes de leva-las ao forno, bata o ovo (Clara e gema) num recipiente e pincele em cima das massas. Isto garantirá uma cor, aparência e crocância característica do pão de malte. Veja:

IMG-20160814-WA0043

Leve ao forno. Deixe assar por uns 40 minutos a 180ºC. Veja que esta etapa é delicada porque não existe Tempo e Temperatura corretos. Isto depende de cada equipamento, principalmente se for a gás. Como exemplo, das duas formas que fiz no mesmo forno, ao mesmo tempo, com a mesma duração e mesma temperatura, deram resultados diferentes. Falar que o pão será assado por 40 minutos a 180ºC é apenas um norte. Você terá que monitorar se o pão está ok ou não de tempos em tempos até entender como seu forno trabalha.

O resultado final é como segue na imagem abaixo:

20160814_173035

Espero que tenham gostado deste delicioso post e aproveitem bem a receita do pão de malte ( malzbrötchen) ! Esta é uma campanha “Recicle o malte ao invés de joga-lo fora” kkkkkk. Outra possibilidade é fazer Kibe com o malte. Deixemos esta receita para um outro post culinário.

Boa noite e boa cerveja (e agra bom pão) a todos!

Anúncios

2 comentários sobre “Aproveitar o malte que sobra da cerveja: Receita de Malzbrötchen – Pão de malte

  1. Olá, gostei muito e quero fazer também. Uma dúvida: como eu separo a casca do malte depois que eu tiro ela da panela de cerveja? Espero secar e ”sopro” a casca fora?

    Curtir

    • Olá André! Não precisa tirar a casca. Ela faz parte do “integral” quando se diz respeito a algum cereal 😉
      Bater no liquidificador é uma das maneiras de deixar ela bem fina, ou seja, aproveita as propriedades da casca sem ter que ficar mastigando-a.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s