Densidade do Mosto: Conceitos de SG, OG e FG

Boa noite Cervejeiros caseiros! Este post será fixado na aba “apêndices” do blog, por servir de referência à outros posts atuais e futuros!

Como enfatizado no tópico ” Como calcular a quantidade de ingredientes para sua receita com base em uma receita padrão de 20L? “, o que importa de verdade não é a quantidade de malte utilizado na receita, e sim a densidade que será originada no mosto antes de inocular o fermento. Mas do que se trata esta densidade?

Bem, puxando mais um pouco para o lado da filosofia, quem faz a cerveja, na verdade, é o FERMENTO, não o cervejeiro! O cervejeiro apenas prepara o mosto. O mosto, por sua vez, é uma mistura de nutrientes que satisfaz as necessidades da levedura que, se tratada nas condições adequadas, transformará seu mosto em uma deliciosa cerveja. Então, como o cervejeiro pode influenciar nos parâmetros da cerveja? Dentre muitos fatores, vamos falar hoje somente sobre o escopo do tópico que é a densidade.

Primeiro, vamos definir o que é esta densidade do mosto. Depois falaremos um pouco sobre as unidades utilizadas no mundo cervejeiro e o que elas significam. Por fim, falaremos sobre o conceito de SG (Specific gravity), OG(Original Gravity) e FG(Final gravity).

Continuar lendo

Anúncios

Como calcular a quantidade de ingredientes para sua receita com base em uma receita padrão de 20L?

Boa noite, cervejeiros caseiros! Hoje vou mostrar como determinar a quantidade dos ingredientes para o tamanho da sua brassagem (por exemplo 5 ou 50L) dada uma receita padrão de 20L.

Como dito no post “Introdução + pensamento” , o padrão do cervejeiro caseiro é trabalhar com receitas de 20L. Pois bem, se vou fazer uma receita de 5L, 10L, 50L etc, como adapta-la? Para quem é de exatas ou está acostumado com a matemática, este tópico parecerá simples e óbvio (e realmente o é), porém aposto que muitos cervejeiros caseiros e simpatizantes vem de outras áreas e a dúvida pode surgir.

Vejamos os ingredientes para fazer 20L de English Pale Ale proposta por Charles Papazian em seu livro “The Complete Joy of homebrewing Fourth Edition“:

  • 4,100kg Malte inglês pale ale
  • 0,730kg Malte Munique
  • 0,225kg (ou 225g) Malte Cristal
  • 48g Lúpulo Inglês Funggles
  • 28g Lúpulo Inglês Kent Goldings (para adição de sabor)
  • 28g Lúpulo Inglês Kent Goldings (para adição de aroma)
  • Levedura para Ale Inglesa (1 sachê)

Toda receita informa qual a OG (Original Gravity ou densidade inicial) e a FG(Final Gravity ou densidade final) que, neste caso, valem: OG = 1.052 e FG = 1.012 (Para mais informações sobre densidade do mosto e cerveja, vejam o post ” Densidade do mosto conceitos de SG OG e FG “).

Continuar lendo

Introdução + Pensamento

Boa tarde a todos! É com grande alegria que inauguro o blog “MALTE NO CANECO”neste início de 2016! A idéia deste trabalho é compartilhar as experiências e aprendizados, conforme forem ocorrendo, nesta jornada em busca da cerveja perfeita! Como primeiro post, deixo um pensamento que tive nestes 15 dias de férias que tirei entre natal e começo de janeiro: Sempre fiz bateladas de cerveja de 20L (Ou 5 galões, nos EUA), pois é o padrão que o pessoal tem feito por aí, em vários lugares do mundo. Sendo assim, quando um iniciante compra os equipamentos para fazer sua primeira cerveja, é bem provável que o faça com o equipamento para este volume. Sempre imaginei que eu fosse querer subir a capacidade de produção para 50L e, posteriormente, 100L.

O que me veio à cabeça então nestas férias foi o pensamento do porquê que mesmo depois de alguns anos fazendo cerveja, eu havia colocado a mão na massa tão pouco? Ora, passei anos estudando sobre o assunto, lendo e montando equipamentos, porém, fazer a cerveja propriamente dita, nunca tinha tempo! Como então fazer para aumentar a frequência do hobby, se para fazer 20L preciso me programar com muita antecedência, montar os equipamentos, arrumar alguém para me ajudar e, ao fim, lavar um monte de panelas, mangueiras, colheres gigantes, potes etc?

Continuar lendo